Por que Design Thinking é relevante? Uma conversa com David Kelley


Como fundador da IDEO, por 30 anos David Kelley tem resolvido problemas complexos usando design. Nós encontramos David e a Diretora Criativa da IDEO U, Coe Leta Stafford, para discutir por que design thinking está mais relevante do que nunca. Mas como David diz, não acredite em nós, design thinking é nossa religião.


Às vezes parece senso comum, mas pensar como um designer é mais difícil do que parece. Em várias maneiras, design thinking é sobre ter uma metodologia que te ajuda a se sentir confortável caminhando pela confusa complexidade de criar algo novo para o mundo. Quanto melhor você fica nisso, mais você cria confiança criativa para aceitar desafios maiores.

Então, por que design thinking é relevante para os desafios que estamos encarando hoje?

Design Thinking constrói confiança criativa

Com tempo e prática, os métodos e mindsets de design thinking te levarão a algo ainda mais importante - confiança criativa. As sutis técnicas de design thinking podem desencadear mudanças de mindset que levam pessoas (muitas pela primeira vez em suas vidas) a se verem como criativas. Você vem para um lugar onde entende o que está acontecendo e acredita que pode decidir o que quer fazer - e isso é confiança criativa. É o oposto de insegurança.

Confiança criativa dá às pessoas a habilidade de navegar pela ambiguidade. Construindo a base do design thinking, as pessoas se tornam capazes de resolver esses problemas complexos do mundo.

Design Thinking está aqui para ficar

O impacto de design thinking continuará a se tornar mais evidente e aceito da mesma maneira que o método científico é uma abordagem amplamente adotada. Design saiu das mesas das crianças para a sala da diretoria com executivos C-level reconhecendo o papel da criatividade na estratégia. Por exemplo, uma pesquisa global da IBM com mais de 1.500 CEOs de 60 países e 33 indústrias descobriu que executivos acreditam que além de rigor, disciplina administrativa, integridade e até visão, navegar com sucesso por um mundo cada vez mais complexo requer criatividade. Das 500 empresas da Fortune às universidades, nós vemos um futuro onde design thinking é uma part comum do currículo de organizações e escolas.

Design Thinking não é um livro de receitas

Há uma ideia de que design thinking seja um livro de receitas onde a resposta aparece no final. Mas a verdade é que é muito mais complicado que isso.

No caminho, - mesmo que não esteja chegando a lugar algum - se você ainda não tiver destravado um novo insight ou se o protótipo não tiver desencadeado um caminho claro com o qual todos concordam, você deve parar aqui. Design thinking não é um trajeto linear. É um monte de loopings de volta a diferentes lugares e processos.

Há também uma confusão sobre saber como dirigir pensamentos convergentes e divergentes. Há habilidade em saber quando uma equipe está travada e aí está o momento de divergir - vamos sair e nos inspirar, vamos pensar um pouco diferente. Quais são os momentos no processo em que você precisa pensar diferente? É preciso prática para saber quando, nesse processo confuso, você deve se dar permissão para divergir e quando e como criativamente convergir. A má notícia é que você realmente precisa ter o insight para dar saltos criativos para um novo lugar.

[Traduzido e adaptado de IDEO]


36 visualizações