Por que grandes organizações ficam loucas por Design Thinking?


Na última década, vários fatores contribuíram para aumentar o número de organizações utilizando Design Thinking não só como abordagem mas como mindset e cultura. Os fatores por trás disso se devem a um mundo cada vez mais conectado, onde problemas tangíveis continuaram a se tornar intangíveis, impossíveis de resolver.

Enquanto as pessoas ficam cada vez mais inteligentes e bem informadas, é esperado que essas organizações entreguem produtos, inovações e iterações em um ritmo mais rápido e com a maior qualidade da história. O método tradicional de trabalho não poderia acompanhar.

"Design Thinking pode ser pensado como facilitador"

O "Waterfall Method" foi revolucionário quando foi apresentado como uma possível prática de engenharia de software, que era um processo sistemático para projetos serem planejados e completos. O método deu ênfase na progressão lógica de um passo a outro como uma cascata descendo uma cachoeira incremental.

Resumindo, a metodologia de Waterfall tem uma inerente falta de adaptabilidade em cada estágio, causada por sua eventual queda.

Enquanto organizações estavam fazendo transformações digitais, havia uma demanda por uma abordagem mais flexível entre eles mesmos. Design Thinking pode ser pensado como o facilitador das metodologias Agile e Lean. Ele permite que aqueles que não são treinados como designers possam usar processos criativos para resolver problemas, os dando a oportunidade de usar ferramentas criativas específicas que têm princípios de uma abordagem DT embutidos.

Talvez, mais importante, isso dê a funcionários espaço para serem flexíveis e falharem antes de se comprometerem com um objetivo. Essa abordagem flexível se torna essencial quando há problemas maiores e mais complexos que precisam ser resolvidos entre várias equipes conflitantes. Traz um alinhamento de mindset às organizações e pessoas.

Qualquer discussão sobre Design Thinking não seria a mesma sem mencionar inovação.

O espaço entre inovação e iteração é uma das discussões mais atraentes da indústria, uma vez que Design Thinking permite que organizações encontrem o equilíbrio entre os dois através de uma abordagem centrada no usuário. Organizações adotam DT como uma abordagem de solução de problemas para inovação. O que DT também oferece, no entanto, é influência na hora dessas organizações decidirem se uma inovação ou iteração é adequada para seus usuários.

Design Thinking permitiu que as empresas operem em espaços mais centrados no usuário ao invés de readaptarem tecnologias para soluções desnecessárias e indesejadas. As organizações notaram que era muito maior a oportunidade de oferecer produtos para satisfazer necessidades de usuários do que suas próprias, seja inovando produtos ou iterando-os.

Sempre haverá a necessidade para que nós "engarrafemos" o sucesso em um processo, mas a realidade é que DT não pode ser engarrafado. Essas organizações adotaram um mindset que se espalha mais que fogo e não está mostrando sinais de que irá desacelerar.

[Traduzido e adaptado de UX Planet]

#DT #DesignThinking #setorpúblico #empresas #gestãodainovação #inovação #culturadeinovação

37 visualizações