O governo da Finlândia usa esse simples método de design para resolver desafios


Quer seu negócio seja pequeno ou grande, novo ou já estabelecido, há perguntas que você precisa fazer constantemente para melhorar sua oferta. Uma maneira rápida de baixo risco para responder essas questões é fazer experimentos. Criar pequenos protótipos ou testes para o mercado pode te deixar mais próximo de atender uma demanda. Esse método não é restrito a pequenas startups.

Na verdade, o governo da Finlândia está aplicando um experimento para melhorar a vida do país inteiro. Para encontrar maneiras de diminuir a alta taxa de desemprego na Finlândia, o governo está conduzindo um experimento de dois anos em que 2.000 cidadãos desempregados escolhidos aleatoriamente recebem uma quantia de dinheiro a cada mês (salário mínimo).

Aqui vão quatro coisas que toda empresa pode aprender com a Finlândia sobre como projetar e executar experimentos:


Imagem: The Japan Times

1. Crie uma cultura de experimentação

Esse experimento da Finlândia não surgiu do nada. Foi executado pela unidade de experimentação do primeiro ministro, criada anos antes, depois que o primeiro ministro decidiu que queria criar legislação da mesma maneira que as empresas criam produtos ou serviços.

Essa unidade experimental atualmente tem 26 projetos nacionais para os quais está criando experimentos. Qualquer pessoa pode ler sobre os projetos e iniciativas no site do governo (o processo é transparente) e o país trabalhou para garantir que o mindset de experimentação seja constitucional (e não infrinja a privacidade).

Antes de começar os experimentos, é importante ajudar sua organização a entender seu valor. Encoraje equipes para abordar os desafios de design como oportunidades de experimentar. Quando pensamos em termos de experimentos, colocamos menos pressão em nossas ideias. Quer tenhamos sucesso ou fracasso, ainda aprenderemos. Uma cultura de experimentação torna mais fácil em termos de passar rapidamente pelo processo de construir protótipos, medir resultados e iterar baseado no que aprendemos.

2. Seja específico sobre a questão que quer responder

A unidade experimental da Finlândia é objetiva sobre suas iniciativas. A iniciativa inicial é focada em um problema fundamental que impacta cidadãos (nesse caso, cidadãos desempregados). Seus experimentos exploram maneiras em que os problemas podem ser resolvidos. Como Roope Mokka, fundador de um think tank em Helsinki, a "grande questão"para esse experimento particular sobre desemprego é: "receber salário mínimo fará com que as pessoas sejam mais ou menos ativas, seja qual for sua atividade, seja apenas andando por aí, cuidando dos filhos dos vizinhos ou se candidatando a um emprego?".

Enquanto a equipe tem várias perguntas, esse experimento é destinado a responder só uma.

Experimentos são mais eficientes quando você os cria para responder uma questão focada. Pense sobre uma pergunta que precisa responder sobre seu produto, serviço ou organização e crie um experimento rápido que poderia ajudá-lo a respondê-la.

3. Comece pequeno

Críticos do programa finlandês dizem que 2.000 pessoas é uma amostra muito pequena. Dois economistas até publicaram um artigo no New York Times sobre porque eles acreditavam que o experimento falharia. Mas a unidade de experimentação da Finlândia não disse que o experimento traria todas as respostas: "não podemos apenas considerar que, você sabe, daremos essa quantia a algumas centenas de pessoas e então teremos certeza de algo. Haverão outros experimentos antes que possamos descobrir como renovar o seguro social", disse Mokka à NPR.

O ponto chave é que esse experimento é um de muitos. Isso vai ajudar o governo a começa a ter uma ideia sobre a melhor maneira de resolver o problema na prática.

Quer você esteja fazendo mudanças sistêmicas ou lançando novas ideias no mercado, comece com pequenos experimentos. Iniciativas de larga escala podem alcançar mais pessoas, mas são mais arriscadas (no caso da Finlândia, incluir mais pessoas no estudo custaria ao governo mais dinheiro, quando ao invés disso, eles podem coletar dados de alto nível para os 2.000 respondentes e então projetar um experimento com acompanhamento mais profundo).

4. Colete dados e feedback dos usuários

O processo de experimentação da Finlândia é construído com feedback contínuo de participantes - os cidadãos para os quais estão projetando. O time itera conseguindo feedback de participantes do experimento e monitorando seus comportamentos. Eles olham para resultados - o que realmente acontece - então melhoram seus experimentos e políticas de acordo com o que vêem. Para o experimento deles, a equipe na Finlândia está analisando dois grupos de cidadãos desempregados (aqueles que recebem a quantia mensal e aqueles que não) por dois anos e comparando seus comportamentos.

O propósito principal de um experimento é aprender com seus usuários. Não importa se você está certo ou errado sobre sua hipótese enquanto você estiver aprendendo algo que te ajuda a melhorar seu projeto. A maneira como você coleta feedback é tão importante quanto seu experimento. Considere métodos quantitativos como pesquisas, métodos comportamentais como rastrear atividade do site e métodos qualitativos como entrevistar participantes.

Experimentação é um ótimo caminho para melhorar continuamente sua oferta e potencializar o crescimento organizacional. Comece pequeno e teste frequentemente. No fim das contas, o bom design nunca acaba.

[Traduzido e adaptado de Inc]


34 visualizações