5 Maneiras de incentivar crianças a crescerem e se tornarem inovadoras


Ser criança hoje em dia não é fácil. Elas encaram requisitos de currículo inconstantes, forte foco em resultados, pilhas de lição de casa e uma busca interminável pelo sucesso em tudo, da parte acadêmica aos esportes. Um documentário recente, "Race to Nowhere", mergulha nos rigores e riscos de crescer nos anos 2010s.

O ex-professor de escola primária e atual professor colegial Tony Wagner diz que essa preocupação em relação a negócios está tirando crianças da sua natureza criativa.

Wagner é um parceiro da educação inovadora no Technology and Entrepreneurship Center em Harvard, e diretor-executivo e fundador do Engaging Schools, uma organização sem fins lucrativos de Cambridge (Massachusetts) que ajuda escolas a inspirar crianças a aprender. Ele diz que ter um "estudante de sucesso" hoje em dia significa criar uma situação onde crianças terão dificuldade em se tornar inovadoras mais tarde na vida.

A pesquisa para o livro bestseller de Wagner, "Creating Innovators: The making of young people who will change the world", revelou uma dinâmica preocupante:

"Em média, uma criança faz 100 perguntas por dia. Mas quando ela chega aos 10, 12 anos, ela entende que é muito mais importante conseguir as respostas certas do que continuar fazendo perguntas."

Como podemos apoiar esses pequenos criativos de maneira que isso ajude-os a serem bem-sucedidos como inovadores quando crescerem? Cultivar esses 5 princípios-chave é um excelente começo:


1.BRINCADEIRA

Wagner diz que a estrutura de inovação de uma criança é fortalecida quando professores trazem um senso de brincadeira ao currículo, fazendo abordagens não convencionais e conexões fantásticas com o material do curso.

Um dos padrões mais importantes que ele observou em professores de sucesso é fazer com que o aprendizado seja divertido. Ele diz que quando os estudantes sentem que cada aspecto do aprendizado é muito sério, eles preferem pensar em maneiras menos arriscadas ao invés de pensar em opções criativas.


2. CURIOSIDADE

Cinco anos atrás, a professora de pré-escola Melissa Butler e o artista residente da Carnegie Mellon University, Jeremy Boyle, começaram a trabalhar juntos para descobrir se era possível que crianças muito novas inovassem. Os dois fundaram o Children's Innovation Project, uma organização sem fins lucrativos que incentiva inovação e pensamento criativo para estudantes de escolas públicas de Pittsburgh.

O programa dá às crianças tempo para brincar com vários materiais tecnologicamente relacionados e engajar uma variedade de projetos individuais e em grupo. Desenhos observacionais desenvolvem consciência e atenção a detalhes, então esses exercícios criam melhor entendimento e desejo de aprender mais, segundo Boyle.

"Quando podemos ajudar crianças a encontrar conexões entre múltiplas coisas, elas se tornam mais curiosas sobre como todas essas coisas funcionam juntas", ele disse.


3. PAIXÃO

Entrevistando centenas de pessoas inovadoras para esse livro, Wagner também descobriu que elas demonstravam conectar a paixão delas ao sucesso. Os melhores professores e pais sempre apoiaram as paixões dos estudantes e curiosidades naturais, e fizeram esforços para conectar o que eles precisaram aprender para satisfazer a curiosidade. Eles deixam que as crianças escolham o assunto que querem estudar ou que façam suas próprias investigações para aprender mais. Esse sucesso leva a um propósito maior - motivações e interesses individuais das crianças, ele diz.


4. CORAGEM

Segundo Butler, entre os resultados-chave no Children's Innovation Project, pode-se destacar um aumento de coragem das crianças, principalmente quando se trata de correr riscos e tentar novas maneiras de fazer as coisas. Elas também se tornaram melhores em resolver problemas usando a criatividade.

Butler considera importante mudar o foco ao elogiar as crianças, se quisermos criar mais inovação: "Acredito que pais, comunidades e escolas fazem um desserviço para crianças quando dizem 'Você é inteligente'. Se você disser para um criança que ela é inteligente, então isso é tudo o que ela é, mas se você puder nomear o esforço como aquilo que você quer encorajar, o esforço cria habilidade."


5. PROPÓSITO

Wagner afirma que ter um ótimo senso de propósito é importante para inovadores. Os professores que tiveram melhor impacto falaram sobre a importância de realizar algo para fazer a diferença, ao invés de apenas conseguir boas notas.

Ter um bom senso de propósito faz com que se torne urgente a missão de encontrar soluções. Isso dá aos inovadores mais incentivo para correr riscos, e procurar por novos métodos de resolver problemas desafiadores.

Texto traduzido e adaptado de Fast Company

#inovação #culturadeinovação #criatividade #designthinking

31 visualizações